Domingo, 30 Março, 15h

15h  |   W   O   R   K   |  exposição e lançamento de nova publicação

17h  |   Concerto: FRANKÃO – O GRINGO SOU EU
https://www.youtube.com/watch?v=BNeI7ibm72U

19h |  Concerto: SOPA DE PEDRA
https://www.youtube.com/watch?v=EDLBoAnkr0k

20h  |   Jantar 

ENTRADA LIVRE

Jantar + concertos: 5 euros

Concertos: contribuições livres


W  O  R  K

«O mais intolerável não é que haja escravos, é que se lhes chame cidadãos.»
Denis Diderot


Na nossa paisagem externa e interior, onde o ser humano é reduzido à condição de mercadoria descartável, quando dizemos trabalho, estamos de facto a dizer trabalho assalariado.
Trabalho «por conta de outrem», em prol de uma entidade patronal – e, cada vez mais, em prol de nebulosas organizações sem rosto.
A palavra trabalho, que em si resume o conteúdo presente da condição humana, quer como labor, quer como não-emprego, traz inscrita na sua etimologia a maldição que a constitui: tripalium, instrumento de tortura.
Assinalou-o estrategicamente a epigrafia inserida à entrada dos campos de concentração nazis, Arbeit macht Frei (Trabalho é Liberdade), ou o adágio colonial-fascista «o trabalho é pró preto».
Júlio Henriques

MIGUEL CARNEIRO
BRUNO BORGES
DAVID FERREIRA
PEDRO NORA
DANIELA DUARTE
DAYANA LUCAS
NUNO SOUSA
MARIANA CALÓ / FRANCISCO QUEIMADELA
ANDRÉ LEMOS
JÚLIO HENRIQUES
MÓNICA BAPTISTA
ANA TORRIE
DR. URÂNIO

Projecto desenvolvido em colaboração com STRIPBURGER (Eslovénia)

March 26, 2014